quarta-feira, 21 de março de 2012

Memorial de Leitura

Ler é mergulhar profundamente em um oceano repleto de letras que nos levam diretamente a um mundo letrado sem fim... ora viajando através do real ora viajando através do fictício. Mas o que falar sobre a leitura? Complicado, não acha?
Quando olho para trás, não consigo lembrar o momento exato do meu primeiro contato com esse universo encantador. A única lembrança que me vem à mente é que quando eu comecei a estudar, adorava "ler" gibis. Mesmo não sabendo ler, pois apenas estava começando a colocar no papel os primeiros rabiscos, ficava só observando atentamente todas as ilustrações coloridas que faziam parte desse livro mágico e fascinante. Com a aquisição da alfabetização passei a participar intensamente dessas histórias de uma forma única e indescritível. Descobri as palavras, ou melhor, o sentido da vida. Esse tipo de leitura marcou toda a minha infância, inclusive os personagens inesquecíveis que rodeiam o mundo dos quadrinhos. Quem não sonhava em ser um dos heróis?
Mais tarde, já no ginásio, nos anos finais do Ensino Fundamental, passei a ter contato com os mais diversos tipos de escritas, não por opção, por obrigação de leitura escolar, mas que realmente era um prazer ler aquelas histórias magníficas. Esses livros eram recontados, na maioria das vezes, através de encenação. Estou falando da coleção "Vaga-lume", em especial o famoso "Escaravelho do Diabo", de Lúcia Machado de Almeida. Um livro marcante e inesquecível, cheio de mistérios. Cito também: Sozinha no Mundo e o Mistério do Cinco estrelas, ambos de Marcos Rey, Menino de Asas, de Homero Homem, dentre outros. São excelentes autores que criaram histórias maravilhosas com personagens que povoaram a nossa imaginação, envolvidos nas mais diversas situações de perigo, suspense e ação. Todos os livros vinham acompanhados de um folheto, no melhor estilo de interpretação de texto formulado de maneira criativa e muito interessante. São livros que colaboraram no desenvolvimento da minha paixão pela leitura.
Quando cursei o Ensino Médio eu deparei com alguns livros que a princípio não entendia direito, todavia, com o passar do tempo tornaram-se "livros de estimação", registro em especial algumas obras como A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, O Guarani, Iracema e Senhora, de José de Alencar, O Cortiço, de Aluísio Azevedo e Dom Casmurro, de Machado de Assis. 
Foi esse interesse pelos livros e na tentativa de conhecer a fundo o poder das palavras que me levou para o curso de Letras, objetivo concretizado no ano de 2003. No ano seguinte a realização de outro sonho a pós-graduação em Língua Portuguesa e LiteraturaAtravés do envolvimento com a leitura pude perceber que ela é um mistério cheio de enigmas que nos sugam suavemente para dentro das palavras e, que aos poucos, nos transformam em um ser capaz de decifrá-la minuciosamente todos os seus significados, permitindo assim, uma sensação de poder perante tantas escritas. Hoje sinto-me realizado por viver em mundo letrado capaz de nos levar a lugares que jamais poderíamos ir com as nossas próprias pernas... 
...e com essa vontade em aprender e adquirir conhecimentos novos e surpreendentes, concluí em setembro / 2012 o curso Técnico em Mineração, uma área, envolvente e dinâmica, repleta de mistérios.... 
...e atualmente, estou cursando Administração... um novo desafio que irei vencer,  planejando metas, superando obstáculos, alcançando resultados... um profissional Inovador, criativo e dinâmico que estará preparado para enfrentar os desafios de uma carreira de sucesso.

Um comentário:

  1. Muito bom Thiago
    Pois é uma história (real), muito interessante, ajuda como um estimulo para as pessoas lutarem para realizarem seus sonhos.

    ResponderExcluir